Seguidores

Visitantes ONLINE

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

SINDGUARDAS-MG protocoliza oficialmente  na SEDS conforme solicitado pelo Secretário de Defesa Social Bernardo Santana, o pedido fundamentado de inclusão das Guardas Municipais de Minas Gerais no REDS.










“A vitória é o principal objetivo na guerra. Se tardar a ser alcançada, as armas embotam-se e a moral baixa.” 
―Sun Tzu

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

LEI 13060/14 DISCIPLINA O USO DE INSTRUMENTOS DE MENOR POTENCIAL OFENSIVO

- See more at: http://gcmsbo.blogspot.com.br/2015/01/lei-1306014-disciplina-o-uso-de.html#sthash.htMduns7.dpuf

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

SINDICATO DOS GUARDAS MUNICIPAIS SE REÚNE COM SECRETÁRIO DE DEFESA SOCIAL

22 de Janeiro de 2015


Reunião com Secretário de Defesa Social Bernardo Santana e subsecretário Rodrigo 
Teixeira é marcada como marco histórico na relação institucional para representação da 
categoria de Guardas Municipais do Estado de Minas Gerais.


Em virtude da grave crise e temerosa ruptura institucional provocada pelo episódio 
fatídico e ação lastimável de policiais que arrebataram um preso das mãos de uma 
equipe de guardas municipais de Belo horizonte,momento em que esta realizava uma 
ação de combate ao transporte clandestino, 
agravada pelo fato de um dos militares ter disparado um tiro de bala de borracha contra 
o rosto da GM Lilian Emiliano de oliveira, que ficou gravemente ferida; fato este, 
causador de grande perplexidade e estranheza que da monta de fatos a serem 
investigados, quanto a possível associação de policiais a atividades criminosas, demanda 
esta que solicitamos que seja encaminhada para apuração das autoridades públicas.


Afim de colaborar de forma oportuna e sensivelmente necessária, pautamos ao ilustre 
Secretário as seguintes reivindicações:


1-Solicitamos a Inserção das guardas municipais no sistema de Registros de Eventos de 
Defesa Social- REDS, em virtude da LEI 13022 de 08 de Agosto de 2014, que determina 
que as Guardas Municipais devam prender qualquer cidadão em atitude conflituosa, 
criminosa e em desacordo com as leis, encaminhando este diretamente a autoridade 
policial (delegado de polícia)


2- Solicitamos junto a esta Secretária a viabilização de convênio entre SEDS e PBH para 
prática de treinamento complementar de tiros, em unidades das forças de segurança a 
preferir por Acadepol ou Suape em face do cumprimento de pré requisitos para liberação de 
porte armas aos guardas municipais de Belo Horizonte.


Compondo a mesa o Secretário de Defesa Social Bernardo Santana , o secretário de 
Estado Adjunto de Defesa Social, Rodrigo de Melo e o subsecretário de Promoção da 
Qualidade e Integração do Sistema Integrado de Defesa Social, Maurício A. Santos, 
Deputado Lincoln Portela o Presidente do SINDGUARDAS-MG Pedro Bueno e 
executiva, o representante do sindicato dos servidores de Belo Horizonte Israel 
Arimar,e um membro da comissão de guardas SINDIBEL.



Nosso Lider partidário Deputado Lincoln Portela construindo caminho para inserção das 
Guardas Municipais de Minas no Registro de Eventos de Defesa Social - REDS





terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Policial Norte Americano Marcos Bonfim Especialista em segurança fala sobre conflito PM x GCM em Belo Horizonte



Especialista aponta falhas graves no uso ilegal da força contra Guarda Municipal de Belo Horizonte






 Deputado Estadual Léo Portela encaminhou demandas dos Guardas Municipais ao novo 
Secretário de Defesa Social do Estado



Hoje o nosso Deputado Estadual Léo Portela esteve com o Secretário de Defesa Social do Estado Bernardo Santana, nesta segunda feira para tratar sobre nossa imediata inserção ao REDS e outras demandas das Guardas Civis Municipais do Estado de Minas Gerais. Em breve teremos resposta e anuncio de mais um grande avanço para toda a categoria!





                


                   

Agente da Guarda Municipal baleada 


na boca por PM explica o que aconteceu



Ainda com dificuldade para falar e sentindo dores, Lília fala sobre o trauma e rebate versão da PM

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar 

  • NOTÍCIA
  • VÍDEOS
Ilson Gomes - TV Alterosa
20/01/2015 13:39 | Atualizado em 20/01/2015 13:50


A servidora da Guarda Municipal Lília Emiliano, de 27 anos, baleada durante uma confusão com policiais militares em uma ocorrência no Centro de Belo Horizonte, recebeu alta nesta segunda-feira do Hospital João XXIII. A mulher deixou a unidade de saúde nesta manhã. O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil e pela Corregedoria da Polícia Militar (PM).

A agente foi atingida com um tiro na boca durante a confusão. Ela foi atendida no Hospital Odilon Behrens no dia da ocorrência e em seguida encaminhada para o João XXIII, onde passou por cirurgia. A guarda deu entrada na unidade de saúde com uma fratura na mandíbula provocada por bala de borracha. Ela recebeu alta nesta manhã e terá que ficar de repouso.



sábado, 17 de janeiro de 2015

Após ação desastrosa da policia militar, Guardas Municipais paralisam as atividades e transporte clandestino invade a rodoviária de Belo Horizonte

Clandestinos invadem a rodoviária e não se intimidam com tumulto envolvendo perueiro

Reportagem do EM flagra dezenas de motoristas que fazem transporte irregular de passageiros agindo no entorno do terminal



    



 postado em 17/01/2015 06:00 / atualizado em 17/01/2015 07:18

BETO MAGALHÃES/EM/D.A PRESS

O tumulto envolvendo um perueiro, guardas municipais e policiais militares na quinta-feira não intimidou os motoristas que fazem transporte irregular de passageiros. Na tarde de ontem, pelo menos 20 ofereciam passagens para diversas regiões de Minas na entrada da rodoviária de BH. Um deles, que anunciava viagem para Sete Lagoas, na Região Central, foi mais ousado e entrou no saguão do terminal para abordar pessoas na fila de uma empresa de ônibus.

O perueiro oferecia transporte a R$ 15, mas o preço cobrado pela empresa para o mesmo destino é R$ 21,35. A viagem clandestina para Sete Lagoas é mais barata que a dos ônibus devido à grande concorrência entre os próprios perueiros, pois são muitos os que fazem o mesmo trajeto.

Vários clandestinos posicionados em frente à rodoviária gritavam oferecendo viagens para Sete Lagoas, Ouro Preto e Mariana. Alguns cobravam até mais caro do que os ônibus intermunicipais. Para Ouro Preto, por exemplo, a tarifa convencional é R$ 29,75 e eles cobravam R$ 30. Para Mariana, partindo da rodoviária, o preço do coletivo é R$ 34,85. Já no carro clandestino, R$ 35. A diferença é de poucos centavos, mas os perueiros alegam mais rapidez e conforto no deslocamento, embora não ofereçam garantia de segurança, como manutenção do veículo, qualificação do motorista ou apoio em caso de acidente.

Cirurgia

A guarda municipal Lílian Emiliano Oliveira passou por uma cirurgia que começou às 23h30 de quinta-feira e terminou às 6h de ontem. Ela permanece internada na enfermaria do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII (HPS), sem previsão de alta. Segundo a assessoria de imprensa da Fhemig, ela fraturou o maxilar, está sob efeito de medicamento e fala com dificuldade.

A mãe dela, a dona de casa Lindalva Emiliano Oliveira, de 52, disse que Lílian não se intimidou e vai continuar trabalhando na Guarda Municipal, profissão que escolheu e de que gosta muito. “Espero que o policial militar seja punido rigorosamente, pois o que ele fez com a minha filha foi uma covardia. Minha filha estava desarmada e ele atirou no rosto dela”, disse a mãe.

Ontem, cerca de 500 guardas municipais fizeram novo protesto, inclusive por melhores condições de trabalho e pelo direito de usar armas de fogo. Eles  saíram em caminhada da Praça da Estação e foram até a prefeitura, onde se juntaram a agentes de combate a endemias e comunitários de saúde, em greve desde o dia 5. Dos 2 mil guardas municipais de BH, 225 não foram trabalhar ontem. No início da noite, a prefeitura recebeu a pauta de reivindicações do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel), que representa os guardas municipais e disse que vai analisar os pedidos.



http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2015/01/17/interna_gerais,608853/clandestinos-invadem-a-rodoviaria.shtml
Esquema de transporte ilegal de passageiros pode ter cobertura de aparato policial em Minas


PM apura envolvimento de militares em esquema de transporte ilegal de passageiros

Corregedoria apura se militares envolvidos em ocorrência que terminou com prisão de sargento e uma guarda municipal ferida têm ligação com perueiros que agem no entorno da rodoviária

 
    
 postado em 17/01/2015 06:00 / atualizado em 17/01/2015 07:19
PAULO FILGUEIRAS/EM/D.A PRESS

A Corregedoria da Polícia Militar apura se os PMs envolvidos no tumulto com guardas municipais têm ligação com perueiros, inclusive com colaboração de pessoal da ativa da corporação. Na tarde de quarta-feira, o sargento reformado Daleimar Hilário Moreira, de 47 anos, foi detido pela guarda municipal Lílian Emiliano Oliveira, de 29, por transporte ilegal de passageiros, perto do terminal rodoviário de Belo Horizonte. Durante a confusão, que envolveu vários militares, ela foi ferida na boca por um tiro de borracha disparado pelo cabo Carlos Gustavo Pereira de Melo, de 37.

O caso é acompanhado também pela Ouvidoria de Polícia do estado. Revoltados com a ação dos PMs, guardas municipais fecharam o trânsito na Praça Sete depois da confusão e ontem fizeram passeata para protestar outra vez e cobrar melhores condições de trabalho.

Fontes disseram ao EM que a Corregedoria também analisa imagens de câmeras de segurança da Rodoviária, da BHTrans e do Olho Vivo, para determinar se o tiro que feriu a guarda municipal foi uma atitude de defesa ou ataque. No segundo caso, a pena por lesão corporal grave é demissão.

Segundo pessoas ligadas à PM e à Guarda Municipal ouvidas pela reportagem, já circularam denúncias de que perueiros podem contar com apoio de servidores públicos, mas até o momento nenhuma investigação confirmou as suspeitas.

Guardas municipais e fontes da PM afirmaram à reportagem que há um grupo mais agressivo de agenciadores de passageiros para perueiros que age sem medo de prisão dentro e fora da rodoviária . “São os mais ousados. Eles dominam as partes interna e externa da rodoviária. Mesmo com a presença dos guardas municipais, eles entram no saguão do terminal e ficam observando as filas dos guichês. Abordam os passageiros da fila oferecendo preços mais baixos”, afirma a fonte ligada à PM.

A Guarda Municipal sustenta que o sargento reformado Daleimar Moreira fazia transporte irregular no momento em que foi detido perto da rodoviária. O EM apurou que Daleimar era popular quando esteve lotado, grande parte de sua carreira, no 1º Batalhão, a unidade da PM responsável pelo policiamento da região interna da Avenida do Contorno, inclusive, a rodoviária. Em 2010, já aposentado, ele tentou se eleger deputado estadual e, dois anos depois, vereador em BH. A reportagem não conseguiu contato com o sargento reformado.

Corporativismo 
De acordo com o porta-voz da PM, major Gilmar Luciano, vários aspectos da ação policial que resultou na detenção de um guarda municipal e ferimento grave de outra são investigados. “Se os militares agiram por corporativismo (tentando libertar o sargento da reserva detido), isso vai ser apurado pela corregedoria, com base nos testemunhos e relatos de envolvidos. Oficialmente, as viaturas foram deslocadas porque o 190 foi acionado para uma ocorrência de tentativa de homicídio”, afirma o porta-voz.

Ainda segundo a PM, não há nenhum processo anterior de envolvimento de policiais da ativa com transporte ilegal de passageiros sendo apurado pela corregedoria. A Ouvidoria de Polícia também informou que não tem nenhum procedimento por esse motivo. O Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG) informou que não tem um perfil dos motoristas multados por transporte irregular.